CONHECIMENTO DE ADOLESCENTES SOBRE SAÚDE E FATORES DE RISCO PARA DOENÇAS E AGRAVOS NÃO TRANSMISSÍVEIS: SUGESTÃO DE ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR

Autores

  • Jaqueline Copetti
  • Renata Godinho Soares
  • Simone Lara
  • Karoline Goulart Lanes
  • Robson Luiz Puntel
  • Vanderlei Folmer

Resumo

Os hábitos e comportamentos que definem o estilo de vida são os principais responsáveis pelas alterações ocorridas quanto ao perfil de morbi-mortalidade da população, estando fortemente associados ao surgimento de doenças e agravos não transmissíveis em períodos como a infância e a adolescência. Nesse sentido, os objetivos do estudo foram avaliar o conhecimento sobre saúde e  sobre os fatores de risco para doenças e agravos não transmissíveis entre escolares do ensino fundamental e apresentar uma proposta de inserção desses temas como conteúdo a ser ensinado, na escola, por meio de uma abordagem interdisciplinar envolvendo as áreas de Ciências e Educação Física. Fizeram parte do estudo 565 escolares de ambos os sexos, matriculados no 8º ano do ensino fundamental de escolas da rede pública estadual do município de Alegrete, RS, Brasil. Os participantes responderam a pergunta “O que é saúde pra você?”. Foi utilizado ainda um questionário para avaliar o conhecimento sobre a associação entre fatores de risco (sedentarismo, fumo, consumo abusivo de álcool e alimentação inadequada) com doenças e agravos não transmissíveis, como diabetes, hipertensão arterial, câncer de pulmão, cirrose, infarto agudo do miocárdio e obesidade. Entre os resultados, foi possível evidenciar que os adolescentes têm conhecimento, de forma geral, sobre hábitos que promovem saúde, como alimentação saudável e prática de atividade física. Contudo, quando investigadas as associações entre morbidades e fatores de risco como sedentarismo, má alimentação, fumo e consumo abusivo de álcool, ficou evidente a necessidade de maiores esclarecimentos. Dessa forma, propõe-se a abordagem interdisciplinar entre as disciplinas de Ciências e Educação Física para que estas sejam as idealizadoras das atividades, demonstrando aos professores a viabilidade de se abordar saúde e doença como conteúdo escolar.

Palavras-Chave: saúde; doenças crônicas; educação física; educação em ciências; interdisciplinaridade

Downloads

Publicado

2014-10-07

Edição

Seção

Artigos Científicos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>