CONCEPÇÕES DE ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL SOBRE ALIMENTAÇÃO E DIGESTÃO

Autores

  • Marcia Medianeira Toniasso Righi Universidade Federal de Santa Maria
  • Ana Maria Cera Forgiarini Universidade Federal de Santa Maria
  • Taiana Micaela de Quadros Saldanha Universidade Federal de Santa Maria
  • Vanderlei Folmer Universidade Federal do Pampa
  • Félix Alexandre Antunes Soares Universidade Federal de Santa Maria

Resumo

O presente estudo tem como objetivo investigar as concepções prévias apresentadas por alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental de seis escolas públicas de Santa Maria-RS, sobre alimento, digestão e alimentação saudável. O método utilizado para a pesquisa foi um questionário semi-estruturado, com quatro questões abertas. Empregamos a técnica da análise de conteúdo, em que se buscou, primeiramente, a organização dos dados extraídos das respostas dos alunos, agrupando-os em categorias significativas, e estas foram reunidas em três categorias, apenas na questão referente à alimentação saudável, classificamos em cinco categorias. Participaram da pesquisa um total de 585 alunos, com idade entre sete e 15 anos. Através dos dados obtidos, podemos perceber que, mesmo com o grau de informação que se tem hoje, muitos alunos ainda possuem concepções prévias sobre alimentos. Quanto à digestão, percebemos que os alunos sabem em que órgãos acontece o processo, mas não sabem como ocorre, mesmo que muitos alunos já tenham estudado esse conteúdo, mas no que se refere à alimentação saudável, eles possuem concepções prévias que foram somadas aos conhecimentos científicos. A partir da execução deste trabalho, verificamos que, portanto, o professor deveria valorizar os conhecimentos prévios do aluno sobre alimentação e digestão para, assim, inserir esse conteúdo em sala de aula, obtendo um melhor processo de ensino e que os alunos consigam assimilar melhor o conteúdo. Da mesma forma, constatamos a necessidade de uma maior discussão sobre o tema alimentação e digestão no currículo de ciências, de forma a ajudar o professor a desenvolver novas atividades em sala de aula, e ainda colaborar significativamente com a mudança de hábitos alimentares dos alunos nos anos iniciais.

Biografia do Autor

Marcia Medianeira Toniasso Righi, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Química, PPG em Educação em CiÊncias: Química da Vida e Saúde

Ana Maria Cera Forgiarini, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Química, PPG em Educação em CiÊncias: Química da Vida e Saúde

Taiana Micaela de Quadros Saldanha, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Química, PPG em Educação em CiÊncias: Química da Vida e Saúde

Vanderlei Folmer, Universidade Federal do Pampa

Docente do PPG em Educação em CiÊncias: Química da Vida e Saúde

Félix Alexandre Antunes Soares, Universidade Federal de Santa Maria

Docente do PPG em Educação em CiÊncias: Química da Vida e Saúde

Downloads

Publicado

2012-08-30

Edição

Seção

Artigos Científicos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>