NAVEGANDO PELO CONHECIMENTO - O IMPACTO DA INTERNET EM ATIVIDADES ESCOLARES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22407/2176-1477/2024.v15.2455

Palavras-chave:

Internet, Teoria da Atividade, Estudantes, tendências, tecnologas digitais contemporâneas.

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar o uso da internet por estudantes de escolas urbanas em 2019 (antes da pandemia) e responder "Qual era a finalidade da utilização da internet nas atividades escolares por parte dos estudantes de escolas urbanas em 2019 (antes da pandemia)?” com foco nos dados provenientes da pesquisa realizada pelo Cetic.br em 2019. Além disso, exploramos a contribuição da Teoria da Atividade de Vygotsky, Leontiev e Engestrom para a compreensão do processo de aprendizagem de estudantes que utilizam tecnologias mediadoras. Destacam-se várias tendências, como a adesão a jogos educativos, realização de pesquisa e a realização de trabalhos em grupo online. A pesquisa também apresenta baixa divulgação científica na internet, como também baixa comunicação entre professores e estudantes. Os resultados destacam o papel mediador significativo da internet na aprendizagem de estudantes da Educação Básica na região Norte do Brasil. Além disso, é ressaltada a importância de integrar o letramento digital ao currículo escolar para preparar os alunos para o mundo digital em constante evolução. A pesquisa também destaca a necessidade de superar barreiras socioeconômicas e promover o acesso à internet como um direito fundamental. Os resultados confirmam o potencial mediador da internet na aprendizagem de estudantes da Educação Básica do Norte do Brasil.

Biografia do Autor

José Lauro Martins, Universidade Federal do Tocantins

Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná (1992), mestrado em Ciencia da Educação - Universidad Autónoma de Asunción (2005) e doutorado em Ciencia da Educação pela Universidade do Minho (2014). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Tocantins, no curso de jornalismo e no Programa de Pós Graduação em Ensino em Ciencias e Saúde (PPGECS/UFT). É membro do Núcleo de Pesquisa e Extensão "Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino" (Opaje)

 

Wegle Borges Amorim, Universidade Federal do Tocantins

Possui graduação em Farmácia pelo ITPAC (2009). Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Saúde da Universidade Federal do Tocantins - UFT. Especializando em Saúde Digital - UFG. Possui Pós- Graduação Lato Sensu em Tecnologias Educacionais para Prática Docente no Ensino da Saúde na Escola FIOCRUZ (2018), em Nefrologia Multidisciplinar UFMA (2017), Gestão da Assistência Farmacêutica pela UFSC (2012) e em Farmacologia Clínica UFG (2010).

Referências

ALAVA, Séraphin. Uma abordagem pedagógica e midiática do ciberespaço. Pátio Revista Pedagógica, Porto Alegre, v. 26 de maio/jul. 2003.

ALMEIDA, P. de. Tecnologias digitais em sala de aula: o professor e a reconfiguração do processo educativo. Revista Da Investigação às Práticas: Estudos de Natureza Educacional [S. l.], v. 8, n. 1, p. 4–21, 2018. DOI: 10.25757/invep.v8i1.124. Disponível em: https://ojs.eselx.ipl.pt/index.php/invep/article/view/124. Acesso em: 31 jul. 2023

BATES, AW Tony. Educar na era digital: design, ensino e aprendizagem. 1.ed. São Paulo: Artesanato Educacional, 2017.

BONILLA, Maria Helena Silveira. Software Livre e Educação: uma relação em construção. Perspectiva, Florianópolis, v. 1, pág. 205-234, 2014. DOI: 10.5007/2175-795X.2014v32n1p205. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/2175-795X.2014v32n1p205. Acesso em: 26 jul. 2023.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em 23 jul. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Base nacional comum curricular: educação é a base. Brasília: MEC, 2017a. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/. Acesso em: 28 jul. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Plano Nacional de Educação PNE 2014-2024: Linha de Base. – Brasília, DF : Inep, 2015. 404 p. Disponível em: Plano Nacional de Educação (PNE) 2014-2024 – Linha de Base. Acesso em: 27 jul. 2023.

BRASIL. Lei nº 14.533, de 11 de janeiro de 2023. Institui a Política Nacional de Educação Digital e altera as Leis nºs 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), 9.448, de 14 de março de 1997, 10.260, de 12 de julho de 2001, e 10.753, de 30 de outubro de 2003. Brasília, DF: Presidência da República, 2023. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2023-2026/2023/Lei/L14533.htm. Acesso em: 31 jul. 2023.

BUZATO, Marcelo El Khouri. Letramentos digitais e formação de professores. São Paulo: Portal Educarede, 2006. Disponivel em: http://www.unilago.com.br/arquivosdst/24983MarceloBuzato%20-%20letramento%20digital%20e%20formacao%20de%20profs%20@.pdf. Acesso em 30 jul. 2023.

CARIBO, O; SCREMIN, R. Ferramentas do Google como alternativa pedagógica para facilitar a aprendizagem em grupo. Revista Científica FESA, [S. l.], v. 18, p. 65–78, 2022. DOI: 10.56069/2676-0428.2022.192. Disponível em: https://revistafesa.com/index.php/fesa/article/view/192. Acesso em: 31 jul. 2023.

ENGESTRÖM, Y. Aprendizagem expansiva. Tradução Fernanda Liberali. 2. ed. Campinas, SP: Pontes, 2016.

LEFFA, Vilson J. Aprendizagem mediada por computador à luz da Teoria da Atividade. Calidoscópio [online], v. 1, p. 21-30, 2005. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=571561917004. Acesso em: 28 jul. 2023.

LEMOS, Mônica; PEREIRA-QUEROL, Marco Antonio; ALMEIDA, Ildeberto Muniz de. A teoria da atividade histórico-cultural e suas contribuições à educação, saúde e comunicação: entrevista com Yrjö Engeström. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 46, p. 715-727, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/icse/a/BTX7QK5SkLGDpWw6jBzgDsK/. Acesso em: 27 jul. 2023.

LEVY, Pierre. Cibercultura. Rio de Janeiro: Editora 34, 1999.

LIMA JR, Arnaud Soares; PRETTO, Nelson De Luca. Desafios para o currículo a partir das tecnologias contemporâneas. In: PRETTO, Nelson De Luca (Org.). Tecnologias e novas educações. EDUFBA, p. 203-214, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/4vpwVbvgbkFRLRq4BPqzFHf/abstract/?lang=pt. Acesso em 26 jul. 2023.

MEDEIROS, SM de A. A teoria da atividade em Vygotsky, Leontiev e Engeström: os fundamentos da aprendizagem expansiva. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 00, p. e021051, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8657702. Acesso em: 31 jul. 2023.

MORAN, J. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. In: BACICH, L.; MORAN, J. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

PRIETO, L. M.; TREVISAN, M. do C. B.; DANEZI, M. I.; FALKEMBACH, G. M. Uso Das Tecnologias Digitais Em Atividades Didáticas Nas Séries Iniciais. Revista Novas Tecnologias na Educação, Porto Alegre, v. 3, n. 1, 2005. DOI: 10.22456/1679-1916.13934. Disponível em https://seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/13934. Acesso em: 26 jul. 2023.

PRETTO, Nelson de Luca; BONILLA, Maria Helena Silveira. Tecnologias e educação: um caminho em aberto. Políticas educacioanis: em Aberto, v. 35, n. 113, p. 141-163, 2022. Disponível em: https://rbep.inep.gov.br/ojs3/index.php/emaberto/article/view/5085/4128. Acesso em: 27 jul. 2023.

SAVI, R.; ULBRICHT, VR JOGOS DIGITAIS EDUCACIONAIS: BENEFÍCIOS E DESAFIOS. Revista Novas Tecnologias na Educação, Porto Alegre, v. 1, 2008. Doi: 10.22456/1679-1916.14405. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/14405 . Acesso em: 13 jul. 2023.

SAVIANI, Dermeval. Sistema Nacional de Educação articulado ao Plano Nacional de Educação. Revista Brasileira de Educação [online], v. 15, n. 44, p. 380-392, 2010. Acesso em: 28 jul. 2023. ISSN: 1809-449X. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-24782010000200013. Acesso em: 23 jul. 2023.

SCHERER, Suely; BRITO, Gláucia da Silva. Integração de tecnologias digitais ao currículo: diálogos sobre desafios e dificuldades. Educar em Revista [online], v. 36, 2020. Acesso em: 31 jul. 2023. e76252. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0104-4060.76252. Acesso em: 30 jul. 2023.

SOUSA, Luciana Pereira de. Atividade Docente: uma Análise Micro das Tensões nas Atividades de Aprendizagens das Professoras de Matemática nos anos inciais do Ensino Fundamental. Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-Graduação em Educação Matemática, 21, Pelotas, RS. Anais do 21º Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-Graduação em Educação Matemática, 2017. Disponível em: https://wp.ufpel.edu.br/xxiebrapem/anais-xxi-ebrapem-2/. Acesso em: 18 jul. 2023.

TORMÖHLEN, S. Gehlen; MATTOS, Cristiano. Freire e Leontiev: contribuições para o ensino de ciências. Revista de investigación y experiencias didácticas, n. Extra, p. 438-441, 2009. Disponível em: https://raco.cat/index.php/Ensenanza/article/view/293494. Acesso em: 25 jul. 2023.

Downloads

Publicado

2024-03-25

Edição

Seção

Artigos Científicos