ENSINO REMOTO EMERGENCIAL: PROPOSTAS DAS SECRETARIAS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO PARA O USO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

Autores

  • Luiz Alberto de Souza Filho Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Leandro Leandro Vasconcelos Machado de Mello Universidade do Estado do Rio de Janeiro e Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • June Tomaz Alvim Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Lucas dos Santos Eckhard Faculdade Professor Miguel Ângelo da Silva Santos, (FEMASS) e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Paula Carolina Vital Mattos Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Amanda Barbosa Lopes Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Luiz Augusto Coimbra de Rezende Filho Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) http://orcid.org/0000-0002-6466-3335

DOI:

https://doi.org/10.22407/2176-1477/2022.v13i3.2252

Palavras-chave:

Políticas educacionais, Pandemia, Ensino Remoto, Secretarias de educação, Uso de vídeos.

Resumo

A pandemia de coronavírus provocou a intermitência das atividades presenciais nas escolas. Em resposta a isso, os sistemas educacionais adotaram medidas e políticas que direcionaram para o Ensino Remoto Emergencial. Neste artigo, busca-se compreender, nas ações empreendidas pelas secretarias estaduais de educação, como se deu a implementação do ensino por meio da tecnologia, sobretudo no que se refere ao uso de vídeos. Discutem-se também suas consequências gerais para a educação brasileira. Afinal, as análises aqui empreendidas resultam de um olhar sobre o quadro inicial de instauração do ensino remoto no Brasil. O estudo possui três desdobramentos investigativos: 1) análise de videoaulas; 2) investigação sobre formação continuada de professores para a produção de vídeos; 3) identificação das sugestões ou propostas das secretarias para o uso de filmes para ensinar. Os resultados apontam para o aspecto emergencial e experimental das medidas adotadas, que esbarram em problemáticas de adoção e acesso à tecnologia e de uso reflexivo das ferramentas tecnológicas empregadas.

Biografia do Autor

Luiz Alberto de Souza Filho, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Mestrando em Educação em Ciências e Saúde (Nutes/UFRJ). Pós-graduando em Ensino de Ciências (UERJ). Licenciado em Ciências Biológicas (UERJ). É integrante do Grupo de Estudos de Recepção Audiovisual na Educação em Ciências e Saúde (GERAES) do Laboratório de Vídeo Educativo (LVE/UFRJ).

Leandro Leandro Vasconcelos Machado de Mello, Universidade do Estado do Rio de Janeiro e Universidade Federal do Rio de Janeiro

Graduando em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e bolsista do Grupo de Estudos de Recepção Audiovisual na Educação em Ciências e Saúde (NUTES/UFRJ). 

June Tomaz Alvim, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Licencianda em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Bolsista do Grupo de Estudos de Recepção Audiovisual na Educação em Ciências e Saúde (NUTES/UFRJ).

Lucas dos Santos Eckhard, Faculdade Professor Miguel Ângelo da Silva Santos, (FEMASS) e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Licenciando em Matemática pela Faculdade Professor Miguel Ângelo da Silva Santos (FEMASS) e bolsista do Grupo de Estudos de Recepção Audiovisual na Educação em Ciências e Saúde (NUTES/UFRJ).

Paula Carolina Vital Mattos, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Graduanda do curso de Ciências Biológicas: Modalidade Médica (Biomedicina) na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e integrante do Laboratório de Vídeo Educativo (UFRJ)

Amanda Barbosa Lopes, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Licencianda em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Bolsista do Grupo de Estudos de Recepção Audiovisual na Educação em Ciências e Saúde (NUTES/UFRJ).

Luiz Augusto Coimbra de Rezende Filho, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Saúde (UFRJ). Diretor do Instituto Nutes de Educação em Ciências e Saúde (UFRJ) e Coordenador do Laboratório de Vídeo Educativo (Nutes-UFRJ). Possui graduação em Cinema pela Universidade Federal Fluminense, mestrado e doutorado em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

AZEVEDO, Patrícia de Abreu Monteiro; ASSIS, Thaís Reis de Assis. Instrumento transformador ou mero aparato tecnológico? Um estudo sobre uso das tecnologias digitais na sala de aula. Educação em Foco, Belo Horizonte, v. 25, n. 45, 2022.

BELLONI, Maria Luiza. A televisão como ferramenta pedagógica na formação de professores. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 29, n. 2, p. 287-301, jul./dez. 2003.

BONILLA, Maria Helena Silveira. Escola Aprendente: uma constituição política. In: Escola Aprendente: para além da Sociedade da Informação. Rio de Janeiro: Quarteto, 2005.

BRASIL. MEC. Gabinete do Ministro. Portaria nº 376, de 3 de abr. de 2020: Dispõe sobre as aulas nos cursos de educação profissional técnica de nível médio, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus - Covid-19. 2020. Disponível em: https://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=515&pagina=66&data=06/04/2020. Acesso em: 14 abr. 2021.

BORBA, Rodrigo Cerqueira do Nascimento; TEIXEIRA, Pedro Pinheiro; FERNANDES, Karina de Oliveira Bloomfeld; BERTAGNA, Maína; VALENÇA, Cristiana Rosa; SOUZA, Lucia Helena Pralon de. Percepções docentes e práticas de ensino de ciências e biologia na pandemia: uma investigação da Regional 2 da SBEnBio. Revista de Ensino de Biologia da SBEnBio, [S. l.], v. 13, n. 1, p. 153-171, 2020.

CARDOSO, Cristiane Alves; FERREIRA, Valdivina Alves; BARBOSA, Fabiana Carla Gomes. (Des) igualdade de acesso à educação em tempos de pandemia: uma análise do acesso às tecnologias e das alternativas de ensino remoto. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, v. 7, n. 3, p.38-46, 2020.

CIEB. Planejamento das secretarias de educação do Brasil para ensino remoto. São Paulo, 2020. Disponível em: https://cieb.net.br/pesquisa-analisa-estrategias-de-ensino-remoto-de-secretarias-de-educacao-durante-a-crise-da-covid-19/. Acesso em 17 mai. 2021.

COSTA, Renata Maria Paiva; SILVA, Antônio Valricelio Linhares; NETO, Enéas de Araújo Arrais. Aspectos nefastos da pandemia da Covid-19 sobre a política de educação no Brasil. Research, Society and Development, v. 10, n. 3, p. 1-13, 2021.

CUNHA, Leonardo Ferreira Farias da; SILVA, Alcineia de Souza; SILVA, Aurênio Pereira da. O ensino remoto no Brasil em tempos de pandemia: diálogos acerca da qualidade e do direito e acesso à educação. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, Brasília, v. 7, n. 3, p. 27-37, ago. 2020.

FETTERMANN, Joyce Vieira; TAMARIZ, Annabell Dell Real. Ensino remoto e ressignificação de práticas e papéis na educação. Texto Livre: Linguagem e Tecnologia, Belo Horizonte-MG, v. 14, n. 1, p. 1-10, 2021.

GERHARDT, Tatiana Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

HODGES, Charles; MOORE, Stephanie; LOCKEE, Barb; TRUST, Torrey; BOND, Aaron. The Difference Between Emergency Remote Teaching and Online Learning: EDUCASE Review, 2020. Disponível em: https://er.educause.edu/articles/2020/3/the-difference-between-emergency-remote-teaching-and-online-learning. Acesso em 20 abr. 2021.

MORAIS, Ione Rodrigues Diniz; GARCIA, Tânia Cristina Meira; RÊGO, Maria Carmem Freire Diógenes; ZAROS, Lilian Giotto; GOMES, Apuena Vieira Gomes. Ensino Remoto Emergencial: orientações básicas para elaboração de plano de aula. Secretaria de Educação a Distância - SEDIS UFRN. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), 2020.

MOREIRA, José António; SCHLEMMER, Eliane. Por um novo conceito e paradigma de educação digital onlife. Revista UFG, v. 20, 2020.

OLIVEIRA, Raquel Mignoni de; CORRÊA, Ygor; MORÉS, Andréia. Ensino remoto emergencial em tempos de covid-19: formação docente e tecnologias digitais. Revista Internacional de Formação de Professores, v. 5, p. 1-18, 2020.

PRETTO, Nelson De Luca; PASSOS, Maria Sigmar Coutinho. Formação ou capacitação em TIC? Reflexões sobre as diretrizes da UNESCO. Revista Docência e Cibercultura, v.1, n.1, 2017, p. 9.

ROCHA, Marcelo Borges. (Re) Aprender a ensinar em tempos de Covid-19: discutindo os desafios na prática docente. Revista Práxis, v. 12, n. 1, 2020.

RONDINI, Carina Alexandra; PEDRO, Ketilin Mayra; DUARTE, Cláudia dos Santos. Pandemia da COVID-19 e o ensino remoto emergencial: mudanças na prática pedagógica. Interfaces científicas, Aracajú, v. 10, n.1, p. 41- 57, 2020.

SANTOS, Fernanda Franco; NUNES, Célia Maria Fernandes; GOMES, Valdete A. Fernandes Moutinho. As condições de trabalho dos professores da educação básica no ensino remoto emergencial: breve análise de pesquisas. Educação em Foco, Belo Horizonte, v. 25, n. 45, p. 31-51, 2022.

SARAIVA, Karla; TRAVERSINI, Clarice; LOCKMANN, Kamila. A educação em tempos de COVID-19: ensino remoto e exaustão docente. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 15, p. 1-24, 2020

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2008.

TEODORO, Valquíria Elena Gonçalves; GOMES, Alex Sandro. Percepção de professores acerca do uso de TICS no ensino remoto emergencial. Educação em Foco, v. 25, n. 45, 2022.

WILLIAMSON, Ben; EYNON, Rebecca; POTTER, John. Pandemic politics, pedagogies and practices: digital technologies and distance education during the coronavirus emergency. Learning, Media and Technology, v. 45, n. 2, p. 107-114, 2020.

Downloads

Publicado

2022-10-03