OS DIFERENTES GÊNEROS TEXTUAIS E A PROMOÇÃO DA ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA: ANÁLISE DE UMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA INVESTIGATIVA SOBRE BIODIVERSIDADE

Autores

  • Teresa da Silva Nunes Universidade de São Paulo
  • Rafael Gil de Castro Universidade de São Paulo
  • Marceelo Tadeu Motokane Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto - USP/RP

DOI:

https://doi.org/10.22407/2176-1477/2018.v9i2.876

Palavras-chave:

sequência didática investigativa, alfabetização científica, biodiversidade, gêneros textuais

Resumo

O domínio da linguagem científica é uma competência essencial tanto para a prática da ciência quanto para o seu aprendizado. Neste sentido, aprender ciências requer que os estudantes sejam capazes de estabelecer relações entre avaliar conhecimentos e métodos, avaliar hipóteses e trabalhar com dados dentro da grande estrutura que organiza o conhecimento científico escolar. Partimos da ideia de que a apropriação da linguagem científica e a comunicação verbal só são possíveis por meio de algum gênero textual. Entendemos que é pelo uso da linguagem em seus diversos gêneros textuais e das interações discursivas que professores e estudantes constroem as bases para um ensino cuja proposta vise à alfabetização científica. Assim, objetivou-se nesse trabalho identificar os diferentes gêneros textuais presentes em uma sequência didática investigativa (SDI) voltada ao ensino do conceito de biodiversidade e alguns conceitos de ecologia atrelados. A SDI prioriza a resolução de problemas científicos com o objetivo de promover situações argumentativas e explicativas. Dessa forma, ensinar linguagem no ensino de ciências requer a mobilização de diferentes gêneros textuais para dar suporte ao estudante na construção de significados e no processo alfabetização cientifica.

Downloads

Publicado

2018-10-25

Edição

Seção

Produto Educacional