DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA ATRAVÉS DO INSTAGRAM: INFORMAÇÃO SEGURA E CLARA DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19

Autores

  • Beatriz Matheus de Souza Gonzaga Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ/RJ http://orcid.org/0000-0002-6862-7008
  • Laura Lacerda Coelho Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ/RJ
  • Matheus Menezes Vianna Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ/RJ
  • Laila Dantas Pereira Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ/RJ
  • Debora Moraes da Silva Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ/RJ
  • Clara Monteiro Seydel Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ/RJ
  • Sheila Soares Assis Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ/RJ
  • Tania Araújo-Jorge Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ/RJ
  • Luciana Ribeiro Garzoni Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ/RJ

DOI:

https://doi.org/10.22407/2176-1477/2022.v13i3.2213

Palavras-chave:

COVID-19, coronavírus, divulgação científica, Instagram

Resumo

Em 2020 o mundo foi atingido pela pandemia da COVID-19, causada pelo vírus SARS-CoV-2, que desencadeou a impossibilidade de realizar atividades presenciais pelo isolamento e o distanciamento social. A Internet se tornou uma grande fonte de informações sobre a COVID-19. Versões distorcidas dos fatos começaram a ser disseminadas pelas pessoas por este meio, as quais se aproveitaram da desinformação, do medo, e da insegurança da população para criar narrativas de comunicação científica errôneas. No auge da pandemia, devido às condições sociais, o Instagram, que é uma poderosa ferramenta de comunicação no contexto das redes sociais, e possui um alto alcance, foi altamente utilizado para disseminar informações sobre a pandemia. Visando contribuir para disseminação de informação acessível e segura sobre COVID-19 e assuntos relacionados a saúde, nosso grupo criou um perfil no Instagram denominado @grupo.cienciagram em julho de 2021. O @grupo.cienciagram foi criado por estudantes do Instituto Oswaldo Cruz, sendo composto por: uma doutora, uma aluna de doutorado, um aluno de mestrado e três alunas de iniciação científica. Nele são disponibilizadas informações nos formatos: (1) “postagem rápida”, (2) “postagem carrossel”, (3) vídeos em reels e (4) vídeos de IGTV, abordando temas como: segurança e eficácia das vacinas; a diferença entre seus mecanismos (diferentes tipos); o significado dos testes de IgG e IgM; o que são variantes de um vírus, entre outros. Em seis meses de atividade, foram feitas 68 postagens e durante esse período o perfil acumulou mais de sete mil seguidores, com reels que chegaram a atingir mais de 2 milhões de visualizações. As análises das métricas de acesso e visualizações foram feitas a partir dos dados do Instagram Insights. Nossos dados demonstram que o Instagram é uma rede social com grande potencial para disseminação de informações de qualidade sobre saúde e para a divulgação científica com grande visibilidade.

 

PALAVRAS-CHAVE: COVID-19; coronavírus; divulgação científica; Instagram.

Biografia do Autor

Beatriz Matheus de Souza Gonzaga, Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ/RJ

Laboratório de Inovações em Terapias, Ensino e Bioprodutos

Referências

CASTILHO, A.; FACÓ, J. F. B. A Divulgação Científica Na Universidade Pública: Case Universidade Federal Do Abc. XXXIV Congresso Brasileiro De Ciências Da Comunicação – Recife/Pe – 2 A 6 De Setembro De 2011.

CHANDRASEKARAN, N., GRESSICK, K., SINGH, V., KWAL, J., CAP, N., KORU-SENGUL, T., & CURRY, C. L. (2017). The utility of social media in providing information on Zika virus. Cureus, 9(10), e1792. DOI:10.7759/cureus.1792

FERREIRA, L N. A.; QUEIROZ, S. Textos de Divulgação Científica no Ensino de Ciências: uma revisão. Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.5, n.1, p.3-31, 2012.

FREIRE, N. P. Divulgação científica imuniza contra desinformação. Ciência & Saúde Coletiva 2021, v. 26, suppl 3, pp. 4810. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-812320212611.3.15012021.

FALCÃO, P.; SOUZA, A. "Pandemia de desinformação: as fake news no contexto da Covid-19 no Brasil". Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde, Volume 15 Número 1. Março, 2021.

GALLON, M. S.; SILVA, J. Z.; NASCIMENTO, S. S.; ROCHA FILHO, J. B. Feiras de Ciências: uma possibilidade à divulgação e comunicação científica no contexto da educação básica. Revista Insignare Scientia. Vol. 2, n. 4. 2019.

GONÇALVES, M.; VENANCIO, T. A divulgação científica no contexto escolar. ComCiência 2014, n.160 pp. 0-0.

JUNQUEIRA, F. C. Choque, Afetividade E Experiência Estética: Linguagem E Percepção Em Um Homem Com Uma Câmera Na Mão E Sua Pertinência Contemporânea. Dissertação, 2011. Universidade Federal de Juiz de Fora.

LIMA, J. C. V. Divulgação Científica E Sociedade. Rev. Pesquisa Fapesp. Edição 45. Ago 1999.

LIMA, L.; SILVA, D. G.; LOUREIRO, R. C. Redes Sociais E Docência: Um Estudo Sobre A Integração Da Rede Social Instagram No Contexto Escolar. Humanidades E Tecnologias (Finom), Minas Gerais, V.26, N.2, P 128-148, Jul. 2020.

LWIN, M. O., LU, J., SHELDENKAR, A., & SCHULZ, P. J. (2018). Strategic uses of Facebook in Zikaoutbreak communication: Implications for the crisis and emergency risk communication model. International Journal of Environmental Research and Public Health, 15(9), 1974. DOI:10.3390/ijerph15091974

MARANDINO, M.; ISZLAJI, C.; CONTIER, D. A Divulgação Da Ciência Por Meio Da Mídia: Análise Textual De Websites. Xiv Reunião Bienal Da Rede De Popularização Da Ciência E Tecnologia Da América Latina E Do Caribe (Redpop – Unesco). Medellín, Colombia, 25 A 29 De Maio De 2015.

MARTINS, M. F. Educação Não Escolar: Discussão Terminológica E Mapeamento Dos Fundamentos Das Tendências. Contrapontos. v. 16 n. 1 (2016) Sorocaba/Sp. 2014.

NETO, M., GOMES, T., PORTO, F., RAFAEL, R., FONSECA, M., & NASCIMENTO, J. (2020). Fake News No Cenário Da Pandemia De Covid-19. Cogitare Enfermagem, 25.

PINTO, P. A.; BRASILEIRO, F. S.; ANTUNES, M. J. L.; ALMEIDA, A. M. P. COVID-19 no Instagram: práticas de comunicação estratégica das autoridades de saúde durante a pandemia. DOSSIÊ TEMÁTICO: Comunicar a saúde - fundamentos e práticas para uma melhor saúde. VOL.15 Nº 29 | 2020.

PASINI, C. G. D.; CARVALHO, E.; ALMEIDA, L. H. C. A Educação Híbrida Nem Tempos De Pandemia: Algumas Considerações. In: Observatório Socioeconômico Da Covid-19 (Ose). 2020.

PEREIRA, J A.; SILVA JUNIOR, J. F.; SILVA, E. V. Instagram Como Ferramenta De Aprendizagem No Ensino De Química. Revista Debates Em Ensino De Química, V. 5, N. 1, P. 119-131, Jan. 2019.

PINCELLI, R.; AMÉRICO, M. Divulgação Científica: Aspectos Históricos, Teóricos, Audiovisuais E Humorísticos. Dissertação. Universidade Federal de São Carlos, 2015.

PULZATTO, M. M.; CONTIERI, B. B.; MUNIZ, C. M.; GRANZOTTI, R. V.; SCOARIZE, M. M. R.; BENETIVO, E. O Papel Das Redes Sociais Na Divulgação Científica Do Projeto S.O.S Riachos De Maringá. Uem - Universidade Estadual Do Maringá. Maringá/Pr. 2019.

SEVERO, J. L. R. L. Educação Não Escolar Como Campo De Práticas Pedagógicas. Ver. Bras. Estud. Pedagog. Vol.96. No244. Brasília/Df. 2015.

TEIXEIRA, Adriana. Fake news contra a vida: desinformação ameaça vacinação de combate à febre amarela. 2018. 97 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Semiótica) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2018.

TORRES, Cláudio. A Bíblia Do Marketing Digital. 1ª Edição. São Paulo: Novatec, 2009.

TOSTES, R. A. A Importância Da Divulgação Científica. Rev. Acad., Curitiba, V.4, N.4, P 73-74. Out/Dez. 2006.

ZOPPEI, E. A Educação Não Escolar No Brasil. Tese. Usp – Universidade De São Paulo. São Paulo/Sp. 2015.

Downloads

Publicado

2022-09-19