CONSTRUÇÃO COLABORATIVA DO CONHECIMENTO SOBRE O CONCEITO DE PLASTICIDADE FENOTÍPICA DO BOLDO BRASILEIRO QUANTO AO CRESCIMENTO E À REPRODUÇÃO

Luana Vieira Campos, Helena Roland Rogrigues Lima, Paula Cardoso Ferah, Luciana Tavares Perdigão, Neuza Rejane Wille Lima

Resumo


A plasticidade fenotípica é a capacidade de um  genótipo expressar diferentes fenótipos em função do ambiente. O objetivo do presente estudo foi promover a coconstrução do conhecimento sobre a plasticidade fenotípica de plantas em uma turma de Engenharia Agrícola e Ambiental, aplicando duas aulas teórico-práticas com duas horas cada. Quarenta estacas apicais do Boldo-Brasileiro (Plectranthus barbatus Andrews) cresceram nas seguintes condições: i) cerca de 40 dias de cultivo; ii) sob 10%, 30%, 50% ou 100% de insolação; iii) em solos que diferem quanto ao tipo de adubo [(solo 1) húmus de minhoca + esterco bovino na proporção de 1:1 ou (solo 2) composto vegetal + esterco avícola na proporção de 1:3)]. Após aula expositiva de 30 minutos sobre plasticidade fenotípica em plantas, os 48 estudantes realizaram a biometria dos ramos principais do Boldo-Brasileiro para acessar comprimento, número de folhas, área foliar e número de brácteas nas inflorescências. Somente nas condições de maiores insolação o boldo expressou inflorescência. Ele expressou mais folhas quando cultivado no solo tipo 2 a 50% de insolação. O solo tipo 2 e a insolação de 10% favoreceu o crescimento em altura. As distâncias entre nós foram menores para os maiores graus de insolação e solo tipo 1. A área foliar foi maior para os menores graus de insolação e solo tipo 2. As fotos das plantas realizadas pelos estudantes, as comparações que estes fizeram para os resultados biométricos, as redações realizadas em grupo e seus relatos obtidos durante a roda de conversa revelaram que estes coconstruíram seus conhecimentos sobre estratégia fisiológica das plantas frente às variáveis ambientais. As interações entre professor, mediadora e estudantes estabelecidas durante as duas aulas teórico-práticas atingiram o que havia sido proposto. Assim, todo processo serviu como metodologia que pode auxiliar na desburocratização do ensino de Ciências.


Palavras-chave


aula teórico-prática, planta, adubos, luz solar, Plectranthus barbatus.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Silvia Mara Zanela; SOARES, Angela Maria; CASTRO, EVARISTO, Mauro; VIEIRA, Carlos Vieira; GAJEGO, Evandro Bordignon. Alterações morfológicas e alocação de biomassa em plantas jovens de espécies florestais sob diferentes condições de sombreamento. Ciência Rural, v. 35, n. 1, p. 62-68, 2005.

BARDIN, L. 1977. Análise de conteúdo. Edições 70, Lisboa: Editora, Lisboa.

BARTHÉLÉMY, Daniel; CARAGLIO, Yves. Plant architecture: a dynamic, multilevel and comprehensive approach to plant form, structure and ontogeny. Annals of Botany, v. 99, n. 3, p. 375-407, 2007.

EMPINOTTI, Alexandre; BARTH, Angelita; NIEDZIELSKI, Daiane; TUSSET, Eduardo Antônio; STACHNIAK, Evelyn; KRUPEK, Rogério Antônio. Botânica em prática: atividades práticas e experimentos para o ensino fundamental. Revista Ensino e Pesquisa, v.12 n. 02, p.52-103, 2014.

ESTEVES, Fernanda Cópio; ABDALA-MENDES, Marta Ferreira. Em busca de uma formação mais crítica: uma análise do enfoque cts/ctsa em livros didáticos de ciências de nono ano do ensino fundamental (PNLD 2014). Revista Ciências e Ideias, v. 8, n. 1, 103-117, 2017.

FUTUYMA, Douglas Joe. Biologia Evolutiva. Ribeirão Preto, 631p. 2003.

KRASILCHIK, Myriam. Prática de ensino de biologia. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

LIMA, Neuza Rejane Wille Lima. Boldo Mirim em diferentes ambientes: práticas educacionais, estímulos sensoriais e construção do conhecimento. 1a. edição, Niterói: ABDIn/PERSE, 2017.

LIMA, Neuza Rejane Wille Lima. Espécies e plasticidade fenotípica de plantas: estratégias de ensino através das práticas do ProPET Biofronteiras da UFF. 1a. edição, Niterói: ABDIn/PERSE, 2019.

LIMA, Neuza Rejane Wille Lima; SODRÉ, Gabriel Araujo; LIMA, Helena Roland Rodrigues, PAIVA, Selma Ribeiro, LOBÃO, Adriana Quintela, COUTINHO, Ana Joffily. Plasticidade fenotípica. Revista Ciência Elementar, v. 5, n. 2, p. 17-24, 2017a.

LIMA, Neuza Rejane Wille; SODRÉ, Gabriel Araujo; LIMA, Helena Roland Rodrigues; MANCEBO, Sueli Soares de Sá, CAMPOS, Luana Vieira; GIBSON, Anna, SOUZA, Victória; COUTO, Wladimir; DI GIACOMO, Lívia, NARCISO, Amanda; LOBÃO, Adriana Quintella; DELOU, Cristina Maria Carvalho. The efficacy of a practical activity in the construction of knowledge of the concepts of species and phenotypic plasticity using the Boldo Mirim (Plectranthus neochilus Schltr.). Creative Education, v. 8, n. 13, p. 2036-2048, 2017b.

LUKHOBA, Catherine W., SIMMONDS, Monique S. J.; PATON, Alan J. Plectranthus: A Review of ethnobotanical Uses. Journal of Ethnopharmacology, v. 103, n. 1, p. 1-24, 2006.

MAIA, Sandra SelySilveira. Influência da adubação orgânica e mineral no cultivo do bamburral (Hyptissua veolens (L.) Poit.)(Lamiaceae). Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v. 3, n. 4, p. 321-326, 2008.

NASCIMENTO, Manoel Euclides; PINTO, José Eduardo Brasil Pereira; SILVA Jr., Jessé Marques; CASTRO, Evaristo Mauro. Plasticidade foliar e produção de biomassa seca em Copaife ralangsdorffii Desf. cultivada sob diferentes espectros de luz. Journal of Agricultural and Environmental Sciences, v. 57, n. 1, p. 41-48, 2014.

PAGANINI, Paula; JUSTI, Rosária; MOZZER, Nilmara Braga. Mediadores na coconstrução do conhecimento de ciências em atividades de modelagem. Ciência e Educação, v. 20, n. 4, p. 1019-1036, 2014.

ROSAL L. F., PINTO J. E. B. P., BRANT R. S. Produção de biomassa e óleo essencial de Plectranthus neochilus Schlechter cultivado no campo sob níveis crescentes de adubo orgânico. Pesquisa Aplicada e Agrotecnologia, v. 2, n. 2, p. 39-44, 2009.

ROSAL, L. F.; PINTO, J. E. B. P.; BERTOLUCCI, S. K. V.; BRANT, R. S.; NICULAU, E. S.; ALVES, P. B. Produção vegetal e de óleo essencial de boldo pequeno em função de fontes de adubos orgânicos. Revista Ceres, v.50, n.5, p. 670-678, 2011.

SOARES, Raquel Madeira; BAIOTTO, Cléia Rosani. Aulas práticas de biologia: suas aplicações e o contraponto desta prática. Revista Dialogus, v. 4, n. 2, p. 53-68, 2015.

SODRÉ, Gabriel Araujo; FERAH, Paula Cardoso; LIMA, Helena Roland Rodrigues; CAMPOS, Luana Vieira; DELOU, Cristina Maria Carvalho; LIMA, Neuza Rejane Wille. Phenotypic plasticity of Boldo Mirim (Plectranthus neochilus Schlechter) within reach of children from second degree of elementary school. Creative Education, v. 9, n. 9, p. 1359-1376, 2018.

SODRÉ, Gabriel Araujo; LIMA, Helena Roland Rodrigues; PERDIGÃO, Luciana Tavares; LIMA, Neuza Rejane Wille. Construção de conceitos biológicos de espécie e plasticidade fenotípica com base em uma aula teórico-prática com duas espécies de boldo. Revista Ciências e Ideias, v. 10, n. 1, p. 118-136, 2019.

SOUZA, Jacimar Luis. Agricultura Orgânica. Volume III Vitória, ES, Tecnologias para a produção de alimentos saudáveis. 2015.

TAIZ, Lincoln; ZEIGER, Eduardo. Plant Physiology. 3a. Edição, Sinauer Associates Publishers, Sunderland, Massachusetts, 2003.

TAIZ, Lincoln; ZEIGER, Eduardo; MØLLER, Ian Max; MURPHY; Angus. Fisiologia e Desenvolvimento Vegetal. 6ª. Edição, Editora Artmed, Porto Alegre, RS, 2017.

TEIXEIRA, Nádia França. Metodologias de pesquisa em educação: possibilidades e adequações. Caderno Pedagógico, v. 12, n. 2, p. 7-17, 2015.

TEIXEIRA, Paulo César; DONAGEMMA, Guilherme Kangussu; TEIXEIRA, Ademir Fontana Wenceslau Geraldes. Manual de Métodos de Análise de Solo. 3ª edição. Embrapa Brasília, DF 2017.

VIA, Sara Richard; GOMULKIEWICZ, Richard; DEJONG, Gerdien; SCHEINER, Samuel M.; SCHLICHTING, Carl D.; VAN TIENDEREN, Peter H. Adaptive phenotypic plasticity: consensus and controversy. Trends in Ecology and Evolution, v. 10, n. 5, p. 212-217. 1995.

VIA, Sara. Adaptive phenotypic plasticity: target or by-product of selection in a variable environment. The American Naturalist, v. 142, n. 2, p. 352-365. 1993.

VIEIRA, R. C. Anatomia da folha de Bauhinia radiata em diferentes ambientes. Arquivos de Biologia e Tecnologia, v. 38, n. 1, p. 63-107, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.22407/2176-1477/2020.v11i1.1172

ISSN: 2176-1477