A UTILIZAÇÃO DA TECNOLOGIA EM TEMPOS DE PANDEMIA

Iuri Bueno, Maysa de Oliveira Brum Bueno, Ruberval Franco Maciel

Resumo


O presente artigo apresenta um recorte da pesquisa de mestrado do programa de Mestrado em Letras da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul e objetivou  analisar a concepção do aluno sobre a própria aprendizagem sob a perspectiva da pedagogia dos multiletramentos em ambientes multimodais de estudantes de graduação do curso de Letras – Licenciatura e Bacharelado; e ainda investiga a relação entre o aluno, o ambiente virtual e os demais envolvidos no processo em tempos da pandemia COVID-19. A realidade atual exige que a Educação se aproprie dos recursos tecnológicos e passem a vê-los como aliados ao processo de ensino-aprendizagem. Foi escolhida como abordagem metodológica a etnografia virtual por se tratar de um tema que implica considerar os processos de interação dos estudantes sobre as experiências vivenciadas no ambiente virtual. Resultados preliminares apontam que está havendo êxito na adaptação do presencial para o online pelo fato do professor já ter desenvolvido atividades em um ambiente multimodal que tinha o estudante no centro da aprendizagem.

Palavras-chave: Multimodalidade. Multiletramento. COVID-19.


Palavras-chave


Multimodalidade; Multiletramento; COVID-19.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, Adriana. Autoetnografia e inserção on-line. O papel do “pesquisador-insider” nas práticas comunicacionais das subculturas da Web. XVII COMPÓS. São Paulo: Biblioteca da Associação Nacional dos Programas de PósGraduação em Comunicação, 2008. Disponível em: http://www.compos.org.br/data/biblioteca_315.pdf

Acesso em: 05 mar. 2020.

ANGROSINO, Michael. Etnografia e observação participante. Porto Alegre: Artmed, 2009.

BHABHA. H. K. O local da cultura. Tradução de Myriam Ávila, Eliana Lourenço de Lima Reis e Gláucia Renate Gonçalves. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1998.

COSCARELLI, C. V. (org.). Tecnologias para aprender. 1. Ed. – São Paulo; Parábola Editorial, 2016.

GIL, A. C., 1946- Como elaborar projetos de pesquisa/Antônio Carlos Gil. - 4. ed. - São Paulo : Atlas, 2002.

GILSTER, P. Digital literacy. New York: John Wiley & Sons, Inc., 1997.

HINE, C. Virtual ethnography. London: SAGE Publications, 1998.

MACIEL, R. F. Letramento crítico das políticas linguísticas e a formação de professores de línguas. In: Nara Hiroko Takaki; Ruberval Franco Maciel. (Org.). Letramentos em Terra de Paulo Freire. Campinas: Pontes, 2014a.

ROJO, R.; MOURA, E. (Orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012.

SOARES, M.. Letramento e escolarização. In: RIBEIRO, Vera Masagão (Org.). Letramento no Brasil: reflexões a partir do INAF 2001. São Paulo: Global, 2003.

SOUZA, V. V. Soares. Letramento digital e formação de professores. Revista Língua Escrita, n. 2, p. 55-69, dez. 2007.

ZACCHI, V. (org). Novos letramentos, formação de professores e ensino de língua inglesa Maceió, EDUFAL, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Iuri Bueno, Maysa de Oliveira Brum Bueno, Ruberval Franco Maciel

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.