PANORAMA DA CERTIFICAÇÃO FSSC 22000: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Rafhaela Martins Nascimento, Gustavo Luis de Paiva Anciens Ramos, Iracema Maria de Carvalho da Hora

Resumo


A elevada procura por alimentos industrializados fez aumentar também a preocupação das indústrias em oferecer alimentos seguros aos consumidores. Muitas causas de contaminação são decorrentes da falta de aplicação de procedimentos de limpeza e da conscientização dos que manipulam os alimentos. Com este estudo, pretendeu-se revisar as principais ferramentas de gestão da segurança de alimentos disponíveis no mercado e fazer uma abordagem do que há de mais recente em gestão da segurança de alimentos, o Esquema de Certificação FSSC 22 000. O Sistema APPCC estabelece um controle com foco na prevenção do perigo, ao invés de confiar apenas nas análises do produto final, e deve ser capaz de se ajustar às mudanças. Com o Esquema FSSC 22 000, é aconselhável que ocorra comunicação interativa ao longo de toda cadeia alimentar e que sejam implementados os pré-requisitos bem como o controle de perigos (APPCC), além dos requisitos de sistema de gestão. No Brasil, até março de 2019, 203 organizações foram certificadas no Esquema FSSC 22 000, equivalendo a 0,56 % do número de indústrias de alimentos e bebidas no Brasil. A partir de 2018, as empresas começaram a migração para a versão mais recente da certificação FSSC 22 000 (versão 4.1).

Texto completo:

PDF

Referências


ABNT. (2011). História da normalização brasileira. Rio de Janeiro. 112p.

ABNT. (2006). ISO 22000:2006: Sistemas de gestão da segurança de alimentos – requisitos para qualquer organização na cadeia produtiva de alimentos.

ABNT. (2006). NBR ISO 22002: Programa de pré-requisitos na segurança de alimentos. Parte 1: Processamento industrial de alimentos.

ABNT. (2008). ISO 9001:2008: Sistema de gestão da qualidade: requisitos.

ABNT. (2019). ISO 22000:2019: Sistemas de gestão da segurança de alimentos – requisitos para qualquer organização na cadeia produtiva de alimentos.

Arruda, L. G. (2018). Tudo sobre FSSC 22000: certificação no sistema de gestão da segurança de alimentos. Disponível em https://www.consultoriaiso.org/tudo-sobre- fssc-22000-certificacao-no-sistema-de-gestao-da-seguranca-de-alimentos/.

Artuzo, L. T., & Pazzoti, G. S. O. (2016). Implantação de FSSC22000 em indústria de sucos concentrados de laranja e limão. Revista Científica Unilago, 1(1): 1-13.

Bertolino, M. T. (2010). Gerenciamento da qualidade na indústria alimentícia: ênfase na segurança dos alimentos. Porto Alegre: Artmed.

Brasil. (2010). Manual integrado de vigilância, prevenção e controle de doenças transmitidas por alimentos. Brasília: Editora do Ministério da Saúde.

Brasil. (2019). Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis. Surtos de Doenças Transmitidas por Alimentos no Brasil. Disponível em http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2019/fevereiro/15/Apresenta-o-surtos-DTA---Fevereiro-2019.pdf.

Capiotto, G. M., Lourenzani, W. L. (2010). Sistema de gestão de qualidade na indústria de alimentos: caracterização da norma ABNT NBR ISO 22.000:2006. In: Anais do 48º Congresso Sober–Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. Tecnologia, Desenvolvimento e Integração Social.

Coletto, D. (2012). Gerenciamento da segurança dos alimentos e da qualidade na indústria de alimentos. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação Engenharia de alimentos). Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

De Paula, S. R., & Ravagnani, M. A. S. S. (2012). Sistema APPCC (Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle) de acordo com a NBR ISO 22000. Revista Tecnológica, 20(1): 97-104.

Dias, S. I. P. (2010). Implementação da norma ISO 22000: 2005 numa indústria de transformação de frutos secos. Dissertação (Mestrado em Tecnologia e Segurança Alimentar). Universidade Nova de Lisboa.

Duarte, C. I. P. (2012). Implementação do sistema de gestão da qualidade NP EN ISO 9001: 2008 numa indústria de produção de presunto. Dissertação (Mestrado em Tecnologia e Segurança Alimentar). Universidade Nova de Lisboa.

FSSC. (2019). Scope specific information. Disponível em http://www.fssc22000.com/documents/standards/scope.xml?lang=en.

FSSC. (2016). Strengths and Benefits FSSC 22000. Disponível em http://www.fssc22000.com/documents/pdf/strengths- and-benefits-20161205.pdf.

FSSC. (2017). Part II: Requirements for Certification. Disponível em: http://www.fssc22000.com/documents/graphics/version-4-1-downloads/part-ii- requirements-for-certification-v4.1.pdf.

Gobis, M. A., & Campanatti, R. (2012). Os benefícios da aplicação de ferramentas de gestão de qualidade dentro das indústrias do setor alimentício. Revista Hórus, 7(1): 26-40.

INMETRO. (2018). Certificação de produtos, processos ou serviços. Disponível em http://www.inmetro.gov.br/qualida de/certificacao.asp.

ISO. (2018). All about ISO. Disponível em https://www.iso.org/about-us.html.

Lopes, E. A. (2007). Proposta e avaliação de uma sistemática para a implementação da norma ISO 22000: 2005-sistemas de gestão da segurança de alimentos e exemplo prático de sua implementação. Tese (Doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo.

Martins, V. (2015). Certificação FSSC 22000 em indústrias de alimentos. Revista de Tecnologias, 7(1).

Matias, G. C. (2014). Utilização de ferramentas da qualidade na busca de melhoria contínua em indústria de alimentos. Revista Especialize Online IPOG, 1(9): 1-12.

Pereira, J. D. C. (2012). Implementação do sistema de segurança alimentar ISO 22000 na Miroliva. Dissertação (Mestrado em Bioquímica). Universidade de Aveiro.

Peretti, A. P. R., & Araújo, W. M. C. (2010). Abrangência do requisito segurança em certificados de qualidade da cadeia produtiva de alimentos no Brasil. Gestão e Produção, 17(1): 35-49.

Ribeiro, A. M. S. (2016). Case study on implementation of the FSSC 22000 certification scheme in an industrial production unit of ice cream in Rio de Janeiro city. Dissertação (Mestrado Profissional em Ciência e Tecnologia de Alimentos). Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

Silva, R. A. (2012). Ciência do alimento: contaminação, manipulação e conservação dos alimentos. Monografia (Especialização em Ensino de Ciências). Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Soares, N. F. (2018). ISO 22000:2018: o que há de novo. Disponível em https://certificacaoiso.com.br/iso-22000-2018-o-que-ha-de-novo-parte-1.

Vieira, A. C. P., Buainain, A. M., Spers, E. E. (2010). A segurança do alimento e a necessidade da informação aos consumidores. Cadernos de Direito, 10(19): 21-37.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.