CHARGES E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NATURAIS

Marinez Meneghello Passos, Virgínia Iara de Andrade Maistro, Vitor Caraiola, Sergio de Mello Arruda

Resumo


A pesquisa cujos resultados apresentamos neste artigo, foi realizada tendo por depoentes os alunos de cinco turmas de sexto ano de Ensino Fundamental de uma escola da rede pública de ensino, situada na cidade de Londrina, no Estado do Paraná. A situação de ensino planejada pautou-se na utilização de charges, com o intuito de averiguar a interpretação e o conhecimento prévio dos alunos, além da possibilidade de desencadear um processo de criatividade, de discussões, de reflexões e de busca. A proposta desenvolvida ocorreu durante três encontros em cada turma com o seguinte planejamento: no primeiro, foram apresentadas as intenções dos pesquisadores, a charge a ser trabalhada e levantadas as percepções dos alunos a respeito da charge (na forma de registros em uma folha de sulfite); no segundo, a aula foi lecionada de maneira expositiva abrangendo a temática ilustrada na charge; no terceiro e último encontro os alunos reescreveram o que compreendiam ao observar a mesma charge apresentada inicialmente. Após a análise dos registros coletados, no primeiro e no terceiro encontro, e das notas de campo elaboradas a cada dia, foi possível evidenciar maior compreensão por parte dos alunos a respeito da temática da charge, todavia o que mais nos chamou a atenção foi a participação na aula e o interesse dos alunos pelos conceitos trabalhados.


Texto completo:

PDF

Referências


AUSUBEL, D. P. A aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes, 1982.

CARUSO, F.; CARVALHO, M. de; SILVEIRA, M. C. Uma proposta de ensino e divulgação de ciências através dos quadrinhos. Ciência e Sociedade, v.8, n.2, p.1-9, 2002.

BACHELARD, G. L’intuition de l’instant. Paris: Éditions Gonthier, 1932.

COELHO, N. N. Literatura infantil. São Paulo: Moderna, 2000.

CARVALHO, L. S.; MARTINS, A. F. P. Os quadrinhos nas aulas de Ciências Naturais: uma história que não está no gibi. Revista Educação em Questão, v.35, n.21, p.120-145, 2009.

FONSECA, J. Caricatura: a imagem gráfica do humor. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 1999.

HIGUCHI, K. K. Super-homem, Mônica e Cia. In: CITELLI, A.; CHIAPPINI, L. (Coords.). Aprender e ensinar com textos não escolares. São Paulo: Cortez, 1997.

MOUCO, M. A. T.; GREGÓRIO, M. R. Leitura, análise e interpretação de charges com fundamentos na teoria semiótica. Trabalho final do programa de desenvolvimento da Educação – PDE 2007. Universidade Estadual de Londrina, 2007. Disponível em: . Acesso em: 25 jan. 2011.

VERGUEIRO, W. Uso das HQ’s no ensino. In: RAMA, Â.; VERGUEIRO, W. (Orgs.). Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.22407/2017.v8i2.685

ISSN: 2176-1477