TEORIAS DA APRENDIZAGEM: FUNDAMENTO DO USO DOS JOGOS NO ENSINO DE CIÊNCIAS

Shirley Lima de Azevedo Neta, Denise Leal de Castro

Resumo


O objetivo deste trabalho foi compor uma revisão bibliográfica sobre autores da teoria da aprendizagem que reforçam a utilização de jogos no Ensino de Ciências, levando em consideração que a prática de jogos pode auxiliar o ensino-aprendizagem de conceitos específicos da área. Observou-se que os jogos podem ser ministrados como intervenção pedagógica nas escolas, ajudando a estreitar a relação entre os discentes e o professor-aluno, além de verificar que auxiliam/facilitam o processo de aprendizagem, já que utilizam signos e linguagens necessários à formação do pensamento e que estão intimamente ligados à cultura e à sociedade que fazem parte, sem poder se desvencilhar delas. O processo se dá de forma criativa, prazerosa, interessante e motivadora.

Palavras-chave


Jogos; Ensino de ciências; Revisão bibliográfica; Teoria da aprendizagem.

Texto completo:

PDF

Referências


ENGELS, Friedrich. Dialectics of nature. Nova York, International Publishers, 1940.

FIALHO, Neusa Nogueira. Metodologia do Ensino de Biologia e Química: Jogos no Ensino de Química e Biologia. 20. ed. Curitiba: IBPEX, 2007.

FILHO, Edemar Benedetti et al. Palavras cruzadas como Recurso Didático no Ensino da Teoria Atômica. Química Nova na Escola, v. 31, n. 2, p. 88-95, maio 2009. Dísponível em: . Acesso em 24 dez 2015.

FREITAS, Ana Márcia Santos Gomes de. O brincar como auxiliar no processo ensino-aprendizagem. In: Monografia do Curso de Pós-graduação Latus Sensu em psicopedagogia. Universidade Cândido Mendes. Rio de Janeiro, fev. 2003.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: ATLAS, 2002.

GODOL,Thiago Andre de Faria; OLIVEIRA, Hueder Paulo Moisés de; CODOGNOTO, Lúcia. Tabela periódica: Um super trunfo para alunos do ensino fundamental e médio. Química Nova na Escola. v. 32, n. 1, fev. 2010.

GRAMSCI: Filósofos e a Educação. Apresentação Antônio Joaquim Severino. São Paulo: PAULUS, 2009. 1 DVD.

GRÜBEL, Joceline Mausolff; BEZ, Marta Rosecler. Jogos Educativos. Novas Tecnologias na Educação. UFRGS, v. 4, n. 2, dez. 2006.

KOHL, Marta. Lev Vygotsky: Coleção Grandes Educadores. Apresentação e direção Marta Kohl de Oliveira. São Paulo: PAULUS, 2006. 45 min. 1 DVD. Son, color.

PINTO, Cibele Lemes; TAVARES, Helenice Maria. O lúdico na aprendizagem: apreender e aprender. Revista Católica Uberlândia, v. 2, n. 3, p. 226-235, 2010. Disponível em: < http://catolicaonline.com.br/revistadacatolica2/artigosv2n3/15-pedagogia.pdf >. Acesso em: 24 dez. 2015.

SILVA, Tiago Perreira. A utilização do jogo ludo químico como instrumento motivador e facilitador da aprendizagem de cinética química na 2ª série do ensino médio do colégio estadual professor José Abdalla. 2012, p. 54. Trabalho de conclusão de curso (Licenciatura em química) – Universidade Estadual de Goiás – Anápolis. Disponível em:< http://www.unucet.ueg.br/biblioteca/arquivos/monografias/TCC_final_-_tiago.pdf >> Acesso em: 29 dez. 2015.

SOARES, Márlon Herbert Flora Barbosa. Jogos para o Ensino de Química: teoria, métodos e aplicações. Guarapari: Ex Libris, 2008.

TELES, Maria Luiza Silveira. Socorro! É proibido brincar! Rio de Janeiro: Vozes, 1999.

VIGOTSKY, Lev Semenovitch. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.22407/2017.v8i2.641

ISSN: 2176-1477