QUERO SER CIENTISTA? ASPIRAÇÕES PROFISSIONAIS DE JOVENS BRASILEIROS

Graciela Silva Oliveira, Nelio Bizzo

Resumo


Este estudo teve como objetivo verificar as aspirações profissionais de jovens brasileiros, caracterizando o interesse pela carreira científica. Houve a participação de 2.404 estudantes (55,1% meninas) matriculados no 1º ano do Ensino Médio de 78 escolas das cinco regiões brasileiras. Quanto à faixa etária dos jovens, houve maior frequência de estudantes com 15 anos de idade (47,4%). As coletas de dados foram através de questionários e as análises foram realizadas com auxílio do Software Statistical Package for Social Science (SPSS) – versão 18.0. Os resultados apontam que as afinidades profissionais dos jovens foram influenciadas pelas variáveis, sexo e região do país onde o estudante reside. A maioria dos estudantes tem interesse por atividades de administração de negócios, os demais se dividem em grupos interessados por atividades que envolvam pesquisa, conhecimento e maior relação com pessoas, animais e meio ambiente, e também há grupos mais motivados por atividades associadas às habilidades manuais de construção e conserto de objetos e atividades esportivas. Há poucos estudantes interessados pela carreira científica, o que parece resultado do baixo conhecimento sobre as funções e atividades da profissão e também por percepções de que se trata de uma carreira com pouco espaço no mercado de trabalho.

Palavras-chave


Ciência; Cientista; Ensino Médio; Futuro profissional.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22407/2176-1477.2017v8i1.525